Não cabe no dicionário


Inventei sua voz,
Para ouvir você me dizer: "eu te..."
(Ouso amar)
Outro dia sonhei que não havia desencontro. E meu travesseiro sentia
seu cheiro, que imagino ser de chuva, algodão e pirilampos.
Mas não lhe sonho perfeito, amo sua
voz que sussurra arrepios, nuvens e éter. Mas
no meu sonho você nunca fica.
Na minha vida, nunca vem.

E vida passa,
Ando na praia,
Conto o tempo pelas estantes que vou enchendo de livros,
enquanto aguardo. Cada romance me povoa.
Preenche qualquer coisa que eu não sabia
Que havia em mim.
Mudo de profissão,
Abro um negócio,
Vejo um filme,
E me lembro de você
Que só existe em mim.
Mas
e se um dia você tocar a campainha?
Vem a onda e afundo meus pés na areia molhada. Percebo o quanto está fria, penso que posso ficar resfriada amanhã, e acho que vale a pena. Quando a onda recua, afundo mais um pouquinho. E me lembro de que quando criança ficava paradinha, nessa posição para ver se a areia fina conseguia me engolir,                 enquanto a onda escorria de volta para o mar.
Mais um sonho.
E nasce mais um dia
                        sem você.
Mais saudade,

Outro dia da janela da minha casa,
vi um barco passando fazendo tectectec, na estrada lunar, eu
soltava minha fumaça branca.
Como um índio-americano de desenho animado,
lhe mandei uma mensagem:
_ quero costurar sua sombra em mim.
Sigo lhe imaginando, mãos de terra, barba áspera e beijos de mar, a espalhar sua espuma em mim.
Cato conchas, como testemunhas de que nesse dia soube amar.

Sei que vou reconhecê-lo, ainda que com outra voz ou outro cheiro.
Outras mãos,
e mais que beijos.
Joga areia da praia sob meus pés, para me lembrar da primeira vez que vi o mar. Caminhamos juntos,
conversamos sobre Shakespeare, Gramsci, Monty Python e Arnaldo Antunes como quem fala do tempo, do tráfego, ou do mormaço que não me deixa pensar. Do dia em que rimos das piadas de meu pai.
Sinto saudade de todos esses sonhos. Sinto tantas saudades suas.
Pena você não existir,
um ser feito de sombras, sonhos e saudades. Não cabe no dicionário
Por isso,
vou lhe chamar:

_ Sonhades,




Um comentário:

Lu Morena disse...

Fui eu que escrevi?